Blog

Aprenda a montar o orçamento de uma obra em 7 passos!

A construção civil respira novos ares no Brasil. Segundo o Sindicato da Indústria da Construção do Estado de São Paulo (Sinduscon-SP), o Produto Interno Bruto (PIB) da construção civil deve crescer 2% em 2019.

Apesar de ser um valor pequeno, a previsão indica que a economia está voltando ao ritmo de crescimento. Isso quer dizer que mais empresas devem investir na construção civil e que, consequentemente, haverá mais capital girando no mercado.

Nesse contexto, você deve estar preparado para otimizar os custos de suas obras e garantir a satisfação do seu cliente. Montar o orçamento de uma obra é um dos passos essenciais para que tudo aconteça como o planejado. Ao ler este conteúdo, você ficará por dentro de 7 boas dicas para orçar uma obra.

Qual é a importância de um orçamento de uma obra?

Imagine começar uma obra sem saber qual será o custo final ou o lucro? Parece loucura? Pois bem, o orçamento de uma obra serve para guiar o trabalho de todos os envolvidos no canteiro.

A partir da definição dos preços e das formas de pagamento dos serviços e materiais contratados, é possível considerar todas as variáveis e traçar quanto a sua gestão precisará desembolsar. Além disso, outros de seus principais benefícios são:

  • maior facilidade para planejar a obra;
  • descoberta de oportunidades para reduzir custos;
  • melhor poder de negociação com fornecedores;
  • maior previsibilidade para o crescimento do negócio.

Não se preocupe se o seu orçamento não é exato: em um canteiro, imprevistos podem acontecer, como o atraso na entrega de um material ou o surgimento de um serviço complementar.

Um orçamento executivo, por exemplo, pode ter entre 5 a 7% de margem de erro sem que haja interferência no resultado. O importante é que tenha informações precisas e compatíveis com a realidade do seu negócio.

Quando os projetos são de baixa qualidade, o valor pode atingir até 10% de margem de erro. Nesses casos, é importante atentar-se aos impactos causados na expectativa do cliente.

Quais são os 7 melhores passos para executá-lo?

Agora, chegou o momento de entender como montar um orçamento de uma obra.

1. Verifique o histórico e as lições anteriores

É fundamental olhar o que foi aprendido no passado. Pare um pouco o trabalho e reveja quais foram os erros e os aprendizados de obras anteriores. Provavelmente, você encontrará algum ponto que poderia ter sido melhor, como a forma de pagamento com um fornecedor ou o tipo de material utilizado na etapa de fundação.

Se possível, converse com outras pessoas da equipe, principalmente aquelas ligadas diretamente à execução das atividades. Uma simples conversa de 15 minutos pode gerar feedbacks surpreendentes.

Desse modo, você encontrará pontos de vista diferentes daquele que você está acostumado. Então, entenda o porquê desses problemas e descubra alguma forma de evitá-los em seus próximos orçamentos de uma obra.

2. Faça o orçamento preliminar

Feito geralmente após o término do anteprojeto, o orçamento preliminar detalha as estimativas de custos. Para isso, é necessário levantar quantidades e tipos de materiais que serão utilizados no canteiro.

Sua principal função é criar uma estimativa inicial da obra, permitindo que a empresa entenda se o empreendimento é viável ou não e os pontos que merecem maior atenção.

3. Preze por projetos de qualidade

Uma das etapas do orçamento de uma obra passa por contratar projetos de arquitetura e de engenharia. São eles que dão vida à estrutura, garantindo conforto e bem-estar aos usuários.

Alguns profissionais fazem de tudo para economizar na contratação desses projetos, contudo você deve ter cuidado nessas horas. Um projeto mal dimensionado resulta em dores de cabeça no momento da execução e após o término da obra.

De nada adianta, por exemplo, escolher a proposta mais barata se o escopo e o prazo de entrega não são respeitados. Por isso, os projetos do seu orçamento devem atender às demandas do mercado sem deixar de lado as exigências normativas.

4. Pesquise em vários lugares

Por mais que pareça simples, a pesquisa é outro ponto marcante na definição do orçamento de uma obra. É nesse momento que você encontra os melhores preços e as melhores oportunidades de negócio.

É preciso ter calma e sabedoria ao assinar qualquer contrato, pois uma escolha mal pensada coloca em risco a entrega da obra no prazo esperado. Provavelmente, você já tem fornecedores de confiança, mas será que não existem outras opções disponíveis no mercado?

5. Tenha a documentação dos memoriais de cálculos e de métodos construtivos

A estimativa de custos de uma obra é definida pelo orçamento. Porém, o que acontece quando há alguma dúvida no decorrer da execução ou quando o cliente solicita a alteração de um material de revestimento? Como saber se isso cabe dentro do orçamento?

Pois bem, nessas horas, você deve ter toda a documentação dos memoriais de cálculos e de métodos construtivos para entender como o orçamento foi definido. O documento também deve ser de fácil acesso para que qualquer outro profissional possa consultá-lo a qualquer momento. Não se esqueça de anexar contratos, croquis, anotações e referências de equipamentos também.

Neste ponto, o uso de tecnologias torna-se fundamental, como a metodologia BIM. A solução cria modelos digitais de suas obras, permitindo analisar e controlar cada elemento e projeto.

6. Faça uma planilha bem estruturada

A planilha de um orçamento reúne todas as informações da obra. Com uma simples passada de olho, o material ilustra os serviços e seus respectivos custos. Além disso, ajuda a controlar a evolução de cada investimento no canteiro.

Se a planilha não for o bastante, saiba que também é possível utilizar uma solução mais robusta, como um software de gestão — que também é chamado de ERP (Enterprise Resource Planning). A ferramenta reúne dados em um só lugar, permitindo que você tenha maior controle das atividades do orçamento. Contudo, a solução exige maior investimento financeiro. Então, veja qual opção atende às suas necessidades.

Provavelmente, você já deve ter ouvido falar da EAP (Estrutura Analítica de Projeto) também. A ferramenta é utilizada para criar subdivisões hierárquicas das atividades. Por mais que pareça fácil, é a partir da EAP que você estrutura e define todos os possíveis serviços da obra.

7. Determine as composições de preços unitários

A Composição de Preço Unitária (CPU) representa o custo de cada serviço de uma obra por uma unidade básica. A explicação pode parecer estranha, mas a sua aplicação é simples.

Você sabe quanto custa 1 m² de alvenaria acabada em um prédio? A resposta da pergunta é a soma de todos os insumos necessários para a execução da atividade. No exemplo, basta somar os seguintes valores:

  • quantidade de argamassa;
  • tipo e número de tijolos;
  • horas de trabalho de cada profissional (pedreiro e/ou servente);

Dessa forma, você deve estabelecer todas as CPUs em seu orçamento de obra a fim de encontrar a estimativa final. Lembre-se de que as CPUs devem ser baseadas no seu histórico de obras. Isso faz com que as informações sejam reais, mais precisas ao seu cenário.

Com a leitura deste post, você descobriu 7 passos para montar o orçamento de uma obra. É importante ter atenção na hora de negociar com fornecedores e considerar materiais e projetos de confiança.

Se você está interessado em garantir a qualidade nos projetos e otimizar o planejamento operacional no seu canteiro, entre em contato com a gente. Temos uma equipe com mais de 10 anos de experiência pronta para fazer com que a sua obra seja fluido e sem problemas!

Compartilhe este post

Mais lidos

Categorias

Fique por dentro da Tático